Ponto facultativo – Coluna do Ricardo

 

 Ricardo Bernardo

  Já virou costume a Prefeitura de São Luiz Gonzaga decretar ponto facultativo na véspera, ou após um feriado, como foi o caso do dia 4. Assim, não há expediente por quatro dias consecutivos, pois os feriados sempre são prolongados ou então antecipados. Qual o motivo para a adoção dessas medidas? Provavelmente o argumento utilizado é para reduzir gastos, porém com isso a comunidade e as empresas ficam sem acesso à Prefeitura, porque a referida repartição pública permanece fechada enquanto as demais trabalham.

   Claro que essa situação não é exclusividade só de São Luiz Gonzaga, pois em vários outros municípios da região acontece o mesmo, e tampouco da administração X ou Y, pois há muitos anos é assim. Porém essa atitude vai de encontro à realidade do Brasil, onde a grande maioria dos trabalhadores exerce suas atividades durante oito horas por dia, de segunda a sábado, sem direito a estender os feriados. Só para efeito de curiosidade, a jornada de trabalho diária na Prefeitura de São Luiz Gonzaga é de apenas seis horas.

   Outro aspecto a ser destacado é que seus funcionários não necessitam repor os pontos facultativos com atividades alternativas fora do horário de serviço, como acontece com os professores municipais. Os docentes precisam recuperar os dias parados em outros horários, com atividades que supram aquelas horas que não foram trabalhadas devido ao prolongamento dos feriados.

   Essa questão poderia ser revista, pois muitas pessoas precisam resolver assuntos na Prefeitura e com isso só serão atendidas na semana seguinte, gerando transtornos e descontentamentos na população. Um fator que também deveria ser melhorado é referente aos horários de atendimento ao público, pois o mesmo poderia ser estendido pelo menos até às 17 horas, como acontece em várias outras cidades das redondezas.

   Creio que muitas outras pessoas, assim como eu, têm curiosidade em saber mais detalhadamente os motivos dessas medidas, que acontecem há vários anos em São Luiz Gonzaga. Os pontos facultativos reduzem mesmo os gastos dos cofres públicos?

  “Como eu queria ser funcionário da Prefeitura!”, é uma das frases mais escutadas, vindas principalmente daqueles que trabalham no comércio da cidade.

Divulgue!