O sonho de ser estrela presente em meninas da região

        Quem vê as belas mulheres que conquistam os olhares em passarelas e na televisão pensa que essas garotas tiveram sorte ao nascerem “prontas para brilhar”, mas o que a maioria das pessoas não sabe, é que para conquistar uma posição socialmente respeitável é preciso mais do que um rosto formidável, é preciso ter personalidade e cultura.

       A busca por “estereótipos” é comum entre garotas de todo o mundo, mas ao encontrarem conterrâneas que são destaque na mídia não é somente a admiração que se está em jogo. Um exemplo da forma como a mulher gaúcha tem sido representada em nosso pais, é a apresentadora do programa diário Jogo Aberto da TV Bandeirantes, Renata Fan. A gaúcha que conquistou seu espaço com posições visadas não somente em nosso país, mas mundialmente, torna-se motivo de orgulho para todos aqueles que reconhecem um verdadeiro talento.

         Como tudo começou – Natural da cidade de Santo Ângelo, no noroeste do estado do Rio Grande do Sul, Renata Fan aos 18 anos decidiu participar de um concurso de beleza concorrendo o titulo de Rainha da Fenamilho, (feira que destaca as potencialidades da cidade), após se tornar uma das princesas do concurso a estudante de direito passou a dar entrevistas e a demonstrar sua paixão pela comunicação, iniciando sua carreira jornalística como locutora na afiliada da Rádio Transamérica FM de Santo Ângelo.

          A menina que estudava as leis e regras jurídicas demonstrava talento no jornalismo escrevendo até mesmo crônicas para jornais de suas cidade. Em 1999, Renata foi eleita Miss Santo Ângelo, Miss Rio Grande do Sul e Miss Brasil, enchendo de orgulho a todos aqueles que acreditavam na belíssima Miss e conheciam a personalidade “forte” da mulher gaúcha que nela havia.

          Palavras de uma mãe – Apaixonada e orgulhosa a mãe Ana Bomfiglio Fan concedeu ao Entre Linhas uma entrevista para contar alguns detalhes sobre os primeiros passos da filha em concursos de beleza “Me lembro que nós chegamos em casa e a Renata estava com a comissão do concurso de Rainha de Fenamilho sentada na sala de casa, e ela muito decidida disse para nós que participaria do concurso”, explica Ana. Como Renata já havia sido convidada para outros concursos dessa natureza e não havia aceitado, Ana faz questão de relembrar as palavras da filha ao explicar porque participaria do concurso: “Aceitei porque é um concurso que tem avaliação de conhecimentos.” A partir dessa decisão, Renata deu inicio a uma carreira em que seria motivo orgulho para familiares e até mesmo para pessoas que não conhecia.

      Assim como milhares de garotas Renata também já passou por dificuldades e dúvidas sobre sua participação em alguns concursos de beleza, pensando até mesmo em impossibilidades de vitória, o que ocasionaria a decepção de seus conterrâneos, uma grande preocupação para Renata que precisou então adiar algumas conquistas. “Sem nunca ter desistido de suas atividades anteriores a Renata teve que adiar sua graduação no curso de direito, e mesmo tendo o apoio de todos nunca foi “beneficiada”, conta a mãe.

             Com grande apoio familiar a garota dedicada aos estudos pode prosseguir um caminho de incertezas, “a avó de Renata sempre dizia que ela não deveria deixar passar o cavalo incilhado, e eu particularmente sempre tive muito orgulho e confiança em Renata, ela teve uma infância e adolescência tranquila, muito dedicada e estudiosa ela sempre foi muito responsável”, afirma a mãe, Ana Bomfiglio.

         Talento da gaúcha – O próximo passo foi a disputa do Miss Universo em Trinidade e Tobago no Caribe, em que, entre 99 participantes, Renata conquistou o décimo segundo lugar. Viajou para mais de 22 países entre 1999 e o início de 2002. Em 2000, venceu na Coréia do Sul o Miss Universitária Mundial e permaneceu 27 dias naquele país, tendo a possibilidade de expandir seu conhecimento cultural ainda mais.

             Já que possuía o desejo de ser uma comunicadora, em 2002 Renata resolveu iniciar a segunda faculdade, entrou para o Curso de Jornalismo e Comunicação Social, se formando na cidade de São Paulo na FIAM – Faculdades Integradas Alcântara Machado.

                A garota que além de ter um belo manequim acompanhava desde criança jogos de futebol, lendo sobre esporte e carregando em si o fanatismo por um dos times de seu estado: o Internacional. Então em Junho de 2003, surge a chance de fazer um piloto para a área de esportes na Rede Record de Televisão. Aprovada no teste Renata passa a apresentar o programa Terceiro Tempo ao lado de Milton Neves, aos domingos à noite, e o Debate Bola, ao meio-dia, no mesmo canal. Desde então, a gaucha não saiu da telinha, e hoje apresenta um programa na rede bandeirantes que recentemente renovou um contrato de mais 4 anos com Renata. A apresentadora poderá ser vista na próxima copa no Brasil.

          A cara da região – Ao verem conterrâneas como Gisele Bündchen e Renata Fan saírem do sul do Brasil e se destacarem mundialmente, as meninas da região noroeste ganham estimulo e possuem o sonho de seguir a mesma trajetória. Os concursos de beleza são constantes na vida de várias meninas, ainda estudantes, que buscam se tornar estrelas reconhecidas e invejadas. Mas no meio de toda essa beleza são encontradas dificuldades ao longo do percurso, pois portas são fechadas e o sonho deve permanecer.

            A jovem Franciele Goltz, 22 anos, acredita no fascínio dos concursos de beleza e desde muito jovem sempre participou. Atualmente Franciele foi eleita Rainha da “Expo São Luiz 2011”, evento que ocorre no município de São Luiz Gonzaga, visando a comercialização, o agronegócio e logística.

      Franciele afirma que apesar de ser glamuroso o mundo de concursos de beleza, enfrentou várias dificuldades ao longo de sua carreira. “Sempre existem críticas, pois as pessoas nos chamam de fúteis, e pensam que não possuímos capacidade para desempenhar funções, mas sempre superei essas questões e hoje sou uma pessoa bem resolvida.”

            

    Muriel Prestes é a Rainha do Município de São Luiz Gonzaga, a jovem tem 19 anos, “Desde pequena meu interesse por desfiles só aumentava, então iniciei minha carreira em um curso de passarelas, mas me dediquei mais a concursos de beleza, como no ano de 2008 onde fui destaque no projeto Novos Talentos, de Márcio Greff e fui indicada a concorrer a Beleza Gaúcha.

      Uma vida de modelo é cansativa, e exige muita dedicação, mas para nós ganhar um titulo de beleza é muito gratificante e com um valor incalculável, e faz com que nos orgulhemos de nós mesmas”, afirma Muriel.

        

       De acordo com Márcio Greff, Colunista Social em São Luiz Gonzaga, em cidades interioranas os concursos de beleza sempre ganham mais destaque e tornam as concorrentes celebridades.

       ”As rainhas e princesas de feiras e municípios se tornam a cara de cada região. Representam sua terra em eventos, sempre destacando a beleza de cada cidade, elas são a cara de cada povo, e por isso são importantes”, disse Márcio.

      Por vezes o sonho existe em meninas que possuem pouco potencial em seguir uma carreira de beleza. Questionado sobre isso, o colunista que organiza eventos deste estilo e encaminha jovens aos concursos afirma: “Não discriminamos nenhum menina, ensinamos a ela como agir, desfilar e se por em frente ao público, pois assim ela mesmo perceberá o seu potencial”, conclui o colunista.

 Eu quero ser Miss - A palavra “miss” é o pronome de tratamento em inglês que se refere às mulheres solteiras, ou seja, senhorita. Ser ou ter sido casada é motivo de desclassificação em qualquer concurso de miss oficial, assim como ter posado nua ou sido filmada fazendo sexo. Isso porque, como a importância do estado civil sugere, os concursos avaliam o que seus criadores acreditam ser os atributos ideais de uma futura esposa – beleza, elegância, capacidade de entreter e manter conversas sociais. E, obviamente, sua disponibilidade e “virtude”. Esses são os valores do julgamento a que se submetem as senhoritas de um concurso de miss. Sendo assim, após passarem por vários concursos de Beleza o sonho das jovens é se tornar miss de seu estado, em seguida do país e então o tão ambicioso concursos de “Miss Mundo”.

    Questionada se ostenta o sonho de Miss, Franciele Goltz, Rainha da Expo São Luiz, afirma “vou seguir em concursos dentro das minhas possibilidades, e se um dia surgir essa oportunidade, Porque não?” disse a bela.

       Crianças e concursos – Em um concurso de miss infantil, todos fazem questão de frisar que o mais importante é que a “criança tem que ser criança”. O que está em julgamento é a “graciosidade e o desembaraço” das pequenas. Em nossa região não é diferente pois em todos os concursos de Beleza sempre existem categorias como a infantil e a teen.

           Nem mesmo os bebezinhos escapam de concursos como é o caso que ocorre em São Luiz Gonzaga, com o evento “Planeta da Alegria” organizado por uma empresa do município. O desfile ocorre para escolha do bebê do ano que representará o município. No concurso são escolhidos Bebê do Ano, Bebê Simpatia e Bebê mais Fotogênico, todos pelo voto popular.

 Reportagem produzida pelas acadêmicas de comunicação social/jornalismo Pâmela Moraes e Kassiele Melo.

Fotos: Márcio Greff , arquivo pessoal de Renata Fan e  Cris Bocácio.

Divulgue!