Sargentos, subtenentes e tenentes da BM preferem ficar sem aumento

           A Associação de Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar comunicou a rejeição da proposta de reajuste salarial do Governo, em reunião, no fim da tarde desta quinta-feira, no Palácio Piratini. De acordo com o presidente da entidade, Aparício Santelano, por unanimidade, a categoria preferiu não receber aumento. Mais cedo, cabos e soldados consentiram com a oferta do Piratini.

          Santelano declarou que, se houve divisão na corporação, a mesma foi provocada pelo governo do Estado, que deve ser questionado sobre eventuais rachas internos. O secretário da Casa Civil, Carlos Pestana, afirmou que, diante da rejeição, os servidores insatisfeitos da Brigada Militar devem procurar os parlamentares para negociar.

          Após a audiência que durou quase uma hora, Pestana anunciou que as negociações com a Brigada Militar estão encerradas e que nesta sexta-feira será enviado ao Legislativo o projeto de 23,5% de reajuste salarial para soldados, 18% para sargentos e 11% para tenentes. Também amanhã, o Executvio pretende retomar as negociações com a Polícia Civil, para poder dar atenção a demandas de outras categorias do serviço público.

Correio do Povo

Divulgue!