Assembleia Legislativa aprova reajuste da Brigada e da Polícia Civil

Vencimentos têm previsão de escalonamento entre 2012 e 2018.

Um dos temas que provocaram dor de cabeça no governo Tarso Genro no ano passado, o reajuste de salários dos servidores da Brigada Militar e da Polícia Civil foi aprovado nesta quarta-feira por unanimidade pela Assembleia Legislativa. Devido ao escalonamento proposto pelo governo do Estado, os vencimentos podem ter acréscimo de até 100% entre este ano e 2018.

A pressão por aumento foi motivo de protestos com queima de pneus em rodovias por soldados e cabos e de ameaças de paralisação por agentes da Polícia Civil e delegados.

Os soldos básicos de capitão, major, tenente-coronel e coronel da BM serão fixados a partir de 1º de agosto deste ano até novembro de 2018. Pelo texto, gratificações e parcelas autônomas serão incorporadas ao salário básico.

Até 2014, por exemplo, os soldos de praças (soldados, cabos e sargentos) sofrerão reajuste que pode variar até mais de 100%.

A partir de 1º de novembro de 2012, os servidores de nível médio da Brigada terão aumento de 6% nos salários. O mesmo percentual atinge os agentes da Polícia Civil, a partir da mesma data. Porém, a remuneração mensal dos cargos passa a ser fixada na forma de subsídio, a partir de 1º de maio de 2013. Na mesma linha, os delegados de 4ª classe e o chefe de Polícia passarão a ganhar R$ 24.117,62 em 2018.

— É uma conquista para as categorias. É resultado de um processo de mais de seis meses de negociação com os sindicatos — destacou a secretária-adjunta da Casa Civil, Mari Perusso.

Os percentuais de reajuste para PMs de nível médio, até 2014, desagradaram ao sindicato que representa soldados e cabos, conforme o presidente da Abamf, Leonel Lucas:

— Hoje, a média nacional é de cerca de R$ 2 mil. Esse valor, passaremos a ganhar somente em 2014. Continuaremos abaixo do nível do resto do Brasil.

O sindicato que representa os oficiais da BM elogiou a decisão.

— Embora não seja tudo aquilo que os oficiais querem, pelo menos percebemos seriedade por parte do Piratini — ressalta o presidente da associação dos oficiais da BM, tenente-coronel José Carlos Riccardi Guimarães.

Saiba como serão os aumentos:

Brigada Militar

Coronel: maio de 2013 – R$ 8.403,87 / novembro de 2018 – R$ 15.002,98

Tenente-coronel: maio de 2013 – R$ 7.983,67 / novembro de 2018 – R$ 13.502,68

Major: maio de 2013 – R$ 7.584,49 / novembro de 2018 – R$ 12.152,41

Capitão: maio 2013 – R$ 6.313,42 / novembro de 2018 – R$ 10.937,17

Tenente: maio de 2013 – R$ 3.205,34 / novembro de 2014 – R$ 3.837,40

Sargento: maio de 2013 – R$ 2.353,08 / novembro de 2014 – R$ 3.069,79

Soldado: maio de 2013 – R$ 1.764,81 / novembro de 2014 – R$ 2.398,27

Polícia Civil

Chefe de Polícia: janeiro de 2013 – R$ 15.200,00 / janeiro de 2018 – R$ 24.117,62

Delegado 1ª classe: janeiro de 2013 – R$ 8.500,00 / janeiro de 2018 – R$ 17.581,74

Comissários: maio de 2013 – R$ 8.383,20 / novembro de 2018 – R$ 15.000,00

Inspetor/Escrivão 1ª classe: maio de 2013 – R$ 2.827,28 / novembro de 2018 – R$ 5.500,00

Investigador 1ª classe: maio de 2013 – R$ 1.908,05 / novembro de 2018 – R$ 2.978,00

Fonte Zero Hora

Divulgue!